quarta-feira, 16 de abril de 2014

ERA UMA VEZ...

Fala rapázi,

Era uma vez um clube de futebol, de uma terra muito, muito distante, que fez uma parceria com um empresário de futebol.
O empresário apresentava um jogador e dizia:
- Olhem esse meu craque. Joga muito.
O clube respondia:
- É mesmo? Hum... E quanto é o salário dele?
- É de R$ 60.000,00. - respondia o empresário.
- Nossa, muito alto - lamentava a diretoria.
Mas o empresário fazia a seguinte proposta: - Não se preocupem, eu pago a metade!
Achando que o negócio era bom, o clube aceitava, afinal ter um jogador de R$ 60.000 pagando apenas R$ 30.000 era realmente tentador.
O que não se sabia era que o salário jogador não valia os 60, mas apenas 30. Assim, o clube acabava aceitando o jogador do empresário e ainda pagava o salário cheio (30).
Até que um dia foi eleita uma nova diretoria para aquele clube.
O empresário, feliz com a reaproximação, voltou a fazer o mesmo tipo de proposta. Mas dessa fez o clube respondeu: - Tudo bem, mas a tua metade, por favor deposita na nossa conta e a gente paga o salário integral para o atleta.
Descoberto, o empresário foi embora.

Abraços, Marcelo

PS: Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos da vida real é mera coincidência.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

PITACOS NO TWITTER



"Parabéns ao Inter-RS. Meter diferença de 4 gols no placar agregado da final, contra o rival, não é para qualquer um".


"Último título do cocoirmão foi comemorado no Orkut".


"Ituano campeão paulista. É o ano das zebras".


Acompanhe mais no @pitacoazul

segunda-feira, 17 de março de 2014

PRA ENGRENAR


Fala rapázi,

A fase Pingo  no Avaí começou com uma derrota para o Marcílio Dias. Não tem como creditar esse resultado ruim ao treinador que mal chegou e já partiu para a casamata.
No primeiro jogo em casa, goleada em cima do Juventus (ah, mas era o Juventus. Sim, mas se não ganhasse já teria gente pedindo a cabeça).
No último jogo, vitória fora de casa até os 38 minutos do segundo tempo, quando tomamos um gol impedido. O Brusque tem uma equipe ajeitada e o resultado, por si só, não pode ser considerado de todo ruim. A única coisa que estranhei foi a ausência de Héber, que no jogo anterior fez 3 gols e merecia ser titular.
Nesta próxima quarta-feira, contra o time de Ibirama, teremos a oportunidade de vencer e começar a sair do sufoco. 
Confirmando isso, Pingo ganha crédito e tira dos jogadores uma pequena parcela pelos últimos desastres. Desejo que ele tenha coragem para fazer as mudanças necessárias que a torcida tanto pede. Vamos aguardar.

Abs, Marcelo

PS: Ei, Pay-Per-View, vai tomate cru!



quinta-feira, 13 de março de 2014

ESCUTA AQUI, Ô EMPRESÁRIO

Fala rapázi,

A vitória de ontem, importantíssima, ficou um pouco ofuscada pela infeliz declaração de um empresário parceiro do Avaí.
Digo infeliz porque entendo que uma manifestação de alguém tão ligado ao clube deve se pautar por quatro vetores: forma, conteúdo, momento e objetivo.

FORMA: Utilizar o twitter para expor uma insatisfação é uma atitude não condizente com a importância de uma parceria e de todos os detalhes que cercam as negociações entre clube e empresa. Há problemas? Que sentem e discutam seus termos, inclusive por escrito. Usar o twitter é jogar pra torcida (apesar de nesse caso fazer efeito contrário)

CONTEÚDO: As declarações foram vazias, senão vejamos: o empresário tem alguns atletas no clube, entre eles: a) Roberto: foi titular assim que foi regularizado. Teve diversas chances e não aproveitou todas. Por ora, não é a nossa salvação. Além disso, se envolveu em briga e tomou um gancho, prejudicando o Avaí; b) Paulo Sérgio: estava jogando ontem, como nas outras partidas e se machucou; c) Pará: quem é o Pará para ser boicotado?
Não digo que esses jogadores não sejam importantes para o Leão, mas daí a dizer que há um boicote, passa longe. PS: Nem falei do Turra...

MOMENTO: O que era para ser uma noite de alegria, em meio a uma série de derrotas, um momento de volta por cima para sair do atoleiro, acabou sendo melancólica. Foi tão sem noção que a reação dos torcedores nas redes sociais acabou se virando contra o empresário. Além disso, a vitória veio com 3 gols do Héber.

OBJETIVO: Se a idéia era trucar a direção para ter jogador escalado, se deu mal. Tem gente que não está levando a sério a proposta de não ter exclusividade. Não estão acreditando que o Avaí está caminhando para uma nova fase de parceria que seja boa pros dois lados e não apenas para quem queira ganhar dinheiro. Caso não se retrate, tenho minhas dúvidas sobre a continuidade.

Não acho que as parcerias sejam ruins, mas quem dá as cartas é o Avaí. Se em 2008 e 2009 bons atletas passaram por aqui, depois as "apostas" não deram certo e amargamos maus momentos tendo que engolir alguns pernas-de-pau que nos levaram ao rebaixamento.

Termino com o filósofo André Calibrina: "Se vens pra ilha dando uma de douto
He, he, tás tolo, te arromba istepô".


Abs, Marcelo
@MGSilva_ 

quarta-feira, 12 de março de 2014

COMO É FÁCIL

Fala rapázi,

Estamos enfrentando uma das piores fases dos últimos anos: patinamos na Série B, fomos eliminados no estadual e agora amargamos a lanterna em direção ao rebaixamento. Não temos absolutamente nada a comemorar.

Mas o que me espanta (e não deveria) nessa hora é como é fácil bater no Avaí quando não estamos por cima.

Dos adversários, até entendemos, pois também é uma das nossas principais diversões, mas de outros setores é duro.

Boa parte da imprensa parece (?!) que sente prazer em não apenas criticar (o que é justo), mas sim espezinhar e humilhar o clube. Piadinhas, risinhos, etc. São os mesmos que na fase boa virão implorando informações para preencherem suas colunas ou seus espaços na rádio, como já fizeram em outras épocas. 

Tem blog avaiano que também dá muita munição para isso tudo. Para elogiar é um post, mas para avacalhar é uma dezena. Analisem e façam um levantamento. É claro que há motivações não declaradas para isso, mas eu imagino o quanto seja triste a vida de uma pessoa que acorda já pensando: "o que eu vou escrever de mau do meu time hoje?"

Sim, precisamos de uma chacoalhada. Sim, nossa fase é uma droga. Mas podemos sair da geleia geral e fazer alguma coisa diferente? Podemos fazer alguma crítica construtiva? Podemos parar de dar ouvidos à mídia? Podemos, ao menos, ir a campo?

Abraço, Marcelo

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

REFORÇO

video
Fala rapázi,

É disso que o Avaí está precisando.
Alguém de decida, que chute em gol.
O Pitaco já está em contato com o empresário da atleta e em breve teremos novidades.

Abs, Marcelo

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

PITACO EM FESTA!

Fala rapázi,


O Conglomerado Pitaco Azul hoje comemora o aniversário de um dos seus acionistas majoritários.


Nosso amigo Aurélio está em festa.

Formado em Cervejaria pelos monges trapistas da Bélgica, o autor da "Coluna das Quinta" está convidando todos os leitores para tomar uma por sua conta no Berbigão do Boca. As fichas podem ser retiradas na sede do Pitaco.

Desejamos ao amigo muitas felicidades e longos anos de parapeito na Ressacada.

Abs, Marcelo

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

REUNIÃO DO CONSELHO III - PARA FINALIZAR


Rapázi,

Para finalizar os comentários sobre a nossa participação na reunião do CD, deixo algumas impressões:

- Saí com uma boa expectativa de que nosso clube está corrigindo erros do passado. O presidente é uma pessoa séria, bem intencionada, com bom trânsito em diversos setores (não se esqueçam que ele, além de advogado, também é empresário). Futebol não se faz sem dinheiro e a diretoria tem o propósito bem claro de sanear as finanças para tornar o clube viável.

- Para a Série B a ideia é reforçar o elenco. Ainda é cedo para citar nomes, mas jogadores estão sendo oferecidos ao clube e serão bem-vindos desde que no mesmo padrão de baixo custo (o que não implica em baixa qualidade, mas sim cedidos por parceiros ou clubes)

- Como já havia anunciado na sua posse, bem em breve devemos ter uma loja no centro para atender os sócios, evitando o deslocamento à Ressacada. Estão faltando detalhes para fechar o contrato do local.

- Falando em sócios, aumentar o seu número é fundamental para incrementar as finanças do clube. Houve pedido para que fizéssemos contato com amigos. Dentre as várias formas de receita, um bom quadro social ajuda em muito.

- Houve questionamentos de diversos conselheiros (eu fiz duas perguntas) sobre os mais variados temas (comportamento de atletas, arbitragem, dívidas, treinador, parcerias, contratos, patrocínio, espaço físico, entre outros). O presidente respondeu a todos de forma clara e sem rodeios.

- O momento lúdico da reunião deu-se com a entrada da Gorete no auditório. Sim, não é gozação. Mas querem saber? Ela sentou, ouviu as discussões de forma muito comportada. Espetáculo!

- Sei que muitos conselheiros têm dificuldades de conciliar suas atividades profissionais e pessoais com as reuniões, mas não deixa de ser uma pena a presença de, no máximo, 30 membros. Cada um tem suas razões, mas é legal o envolvimento com as coisas do Avaí pois somos nós (os torcedores) quem fazemos o clube.

Abraços,
Marcelo

REUNIÃO DO CONSELHO - PARTE II

Fala rapázi,


Em relação ainda à reunião de ontem do CD, foi dada continuidade ao processo de modificação do estatuto.

O que ficou aprovado é que alguns sócios (Adir José da Silva Júnior, Marcos Andrey de Souza e Spyros Diamantaras), juntamente com o advogado do clube, Bruno Comicholi irão compilar o material já produzido pela comissão anterior para facilitar o processo de votação das alterações.

Sobre o que for polêmico (como a eleição direta ou indireta para presidente, seu mandato, etc) serão elaboradas redações alternativas ao estatuto para que então, em assembléia geral dos sócios, sejam votadas.

A expectativa do presidente do CD, Alessandro Abreu é que o novo estatuto seja votado ainda no primeiro semestre.

Abs, Marcelo

SOBRE A REUNIÃO DO CONSELHO - I

Fala rapázi, 


Ontem estive presente na reunião do CD e compartilho algumas impressões. 
Foto: Vandrei Bion


A diretoria executiva compareceu e boa parte de sua explanação se referiu à questão financeira do clube.

O objetivo é tornar o clube novamente viável e para isso nada mais simples do que estancar os gastos e gerar novas fontes de renda.

Os débitos trabalhistas, por exemplo, estão tentando ser tratados de forma unificada, procedimento possível no TRT quando então se faz um consórcio de credores.

Mas não é só. Outros ex-funcionários estão sendo procurados para acordo antes de que ingressem em juízo. 

As dívidas fiscais (tributos) estão sendo refinanciadas e o Avaí é um dos clubes com menos impostos a pagar.

Em um mês e meio de gestão a atual diretoria já pagou 3 folhas e determinados setores, como por exemplo os funcionários da manutenção,  estão com os salários em dia.

Questionei o presidente sobre os longos contratos com jogadores que em poucos meses eram dispensados.  Ele me respondeu que isso não ocorre mais. 

Muitos jogadores vieram sem custo para o clube, bancados pelas parcerias que os colocam na vitrine, ou então por clubes onde não são utilizados,  o que é o caso do Antônio Carlos,  se  não me engano.

A busca de patrocínio continua, mas algumas empresas colocam exigências que inviabilizam (exclusividade sem o valor interessante). 

Outra coisa,  as parcerias são feitas por contrato e não mais verbalmente. 

A impressão que tive é que entramos em outra fase da administração, com os pés no chão,  compartilhando as decisões e sem impulsos.


Mais tarde volto ao relato. 



Abs, Marcelo. 

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

PODE CHORAR


Bom dia rapázi

Acordei com essa música na cabeça.
Aumenta o som.
Uma ótima terça a todos.